A Voz da Poesia
Biblioteca da Literatura Popular (Cordel)
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
EU GOSTO DO QUE ELA FAZIA, E FAÇO O QUE NÃO FOI FEITO
Se eu fiz algo errado
Agora eu faço direito
É muito certo o ditado
Quem é bom já nasce feito
E como alguém me diria
Eu gosto do que ela fazia
E faço o que não foi feito

O que eu fiz foi às claras
De novo tudo eu faria
Fui me casar com Izabel
Me casaram com Luzia
Nem tudo nasce direito
Eu faço o que não foi feito
Eu gosto do que ela fazia

Eu aqui fiz tudo certo
Em nada botei defeito
Levei a vida com calma
Pra tudo eu tinha um jeito
De novo tudo eu faria
Eu gosto do que ela fazia
E faço o que não foi feito

Eu a amava, ela me amava
Vivíamos com harmonia
E todos os nossos trabalhos
Eram simples sem fantasia
Nós tínhamos um bom conceito
Eu faço o que não foi feito
Eu gosto do que ela fazia

Eu gosto do que ela fazia
E faço o que não foi feito
Se eu fiz algo errado
Agora  faço direito
Pois é muito certo o ditado
O erro eu tenho evitado
Porque só Deus é perfeito

Cai a noite fria e lenta
Me sinto só e sem jeito
Sem carinho e sem conforto
Sento-me à beira do leito
Cheio de dor e nostalgia
Eu gosto do que ela fazia
E faço o que não foi feito

Juntos rezávamos o terço
E a Deus nós oferecia
Estávamos sempre juntos
Nas dores e na alegria
Vencemos o preconceito
Eu faço o que não foi feito
Eu gosto do que ela fazia

Hoje vivo só em nosso lar
Com nada eu me deleito
Canto prosa e faço verso
Levando Cristo em meu peito
Celebrando a eucaristia
Eu gosto do que ela fazia
E faço o que não foi feito
Zé Bezerra o Águia de Prata
Enviado por Zé Bezerra o Águia de Prata em 10/10/2007
Alterado em 10/10/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Áudios Relacionados:
Comentários